Pular para o conteúdo principal

HIP HOP LUZ...

 

De Rio Preto para o mundo e com grandes participações, MC Gra prepara o lançamento do primeiro álbum, neste mês; proposta é manter-se nas raízes do rap e fugir do que o mercado fonográfico procura

Divulgação MC Gra em ensaio fotográfico para álbum de estreia; artista viajou por todo o país para trazer produtores e participações especiais para o primeiro disco, o “Só Termina Quando Acaba” MC Gra em ensaio fotográfico para álbum de estreia; artista viajou por todo o país para trazer produtores e participações especiais para o primeiro disco, o “Só Termina Quando Acaba”
Agência BOM DIA
Entre um projeto e outro, a cantora MC Gra, nascida em Rio Preto, consegue mais destaque na mídia nacional. Com 28 anos, o primeiro clipe dela (da música “Pra Frente”) foi veiculado na MTV e está  no top 10 dos vídeos  mais vistos do site de www.rapnacional.com.br.
A artista, que atualmente grava em São Paulo seu segundo clipe, conversou por telefone com o BOM DIA sobre o primeiro álbum, “Só Acaba Quando Termina”, previsto para ser lançado neste mês. “Fico feliz com tudo o que está acontecendo”, diz.
O álbum conta com oito faixas e grandes nomes do gênero, como KL Jay (DJ do grupo Racionais MC's), Luiz Café, MPC e Nelson Viana (Ragga). “Nunca se juntou tantos grandes nomes para produzir um álbum de rap nacional”, comemora.
MPC produziu a faixa que dá origem ao novo clipe: “Simplesmente”, faixa com pegadas de reggae e  que sugere a mistura de gêneros. “Temos de ouvir de tudo, a música é universal”, acrescenta. Apesar disso, ela procura se manter íntegra na proposta do hip-hop, de compor letras sócio-educativas a jovens.
“Muitos artistas do gênero estão se adaptando para gravadoras”, lamenta. Ela tem propriedade para falar isso. Nascida Graziella Cristina Figueiredo Rillo, aprendeu violão com 12 anos e começou na música em outro  estilo: o punk-rock. “Depois notei que o rap é a forma brasileira de protestar. Isso junto com  a contracultura da capoeira (esporte que a artista é pentacampeã pelos jogos regionais)”, diz.
Sobre a cidade natal, a artista se diz distante do que acontece, já que se mudou para Florianópolis e viaja pelo país para a produção do álbum. “São poucos que se mantivem fazendo rap, só os resistentes.”
No último show em que deveria se apresentar na cidade, na 6ª Semana do Hip-hop (março deste ano), não chegou a concluir nem à segunda música. O motivo é que o lugar não tinha estrutura e alvarás necessários  para apresentações à noite, causando a intervenção da polícia e a paralisação do show. “Não tinha segurança e policiamento. Foi uma vergonha”, desabafa. “A prefeitura deveria ter dado estrutura ao evento. Tivemos  de imprimir, por meios próprios panfletos de qualidade.”
Apesar de ser um evento relacionado à prefeitura e com decreto de lei municipal de 2005, a Secretaria de Cultura, por meio da assessoria, informou que só estava proposto a ajuda na parte do som e que a lei prevê colaboração dos organizadores. Um desses, Wanderson José Ferini, diz que a obrigação do alvará é do Centro de Cultura Vasco da Gama. “O show foi interrompido por causa do barulho durante a noite, mas no dia seguinte o evento ocorreu normalmente.”
Álbum conta com oito faixas e participações como KL Jay, DJ do grupo Racionais MC's

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

NOBRES

Abdias do Nascimento
"A revolução quilombista é fundamentalmente anti-racista, anticapitalista, antilatifundiária, antiimperialista e antineocolonialista"
Adam Clayton Powell
"A liberdade é uma conquista interna, em vez de um ajuste externo".
Aime Césaire
"Para um ser dilacerado por três séculos de aviltamento, o conhecimento de seu continente original restabelece sua dignidade, oferecendo-lhe uma ancestralidade que lhe fora confiscada"
Alice Walker
Não pode ser seu amigo quem exige seu silêncio ou atrapalha seu crescimento.
Alzira Rufino
Sou negra ponto final. Devolvo-me a identidade, rasgo a minha certidão. sou negra! sem reticências, sem vírgulas, sem ausências. Sou negra balacobaco. Sou negra noite cansaço
Amilcar Cabral
" Não vamos utilizar esta tribuna para dizer mal do imperialismo. Diz um ditado africano muito corrente nas nossas terras, onde o fogo é ainda um instrumento importante e um amigo traiçoeiro que quando a tua palhota arde, de nada serv…
ÚLTIMAS DE MUNDOCasa Branca proíbe 'NY Times', CNN e BBC de ir a coletiva de imprensa24/02/2017 16:44Juiz é designado para investigar candidato à Presidência da França24/02/2017 16:30Obama é celebrado por multidão ao aparecer de surpresa em Nova York24/02/2017 16:25Colisão de dois ônibus mata 13 pessoas e fere 34 na Argentina24/02/2017 16:04 RIO — Um documento de 35 páginas vazado pela imprensa americana na terça-feira contém supostas revelações constrangedoras sobre o republicano Donald Trump. O relatório — que teria sido escrito por um ex-agente britânico em caráter confidencial — não teve sua veracidade comprovada oficialmente, mas gerou uma forte polêmica nos EUA. Dentre as alegações no documento, estão supostas atividades sexuais do magnata nova-iorquino e detalhes sobre a sua relação com as autoridades russas antes mesmo de ser eleito presidente dos Estados Unidos. Logo após a divulgação do material, a Rússia negou ter informações comprometedoras sobre Trump. O republic…

chepor

chepor dilma...eagora Brasil...
La vida y obra del Che Guevara suscitó, en los años inmediatos después de su muerte, un notable número de biografías. Probablemente, ninguna personalidad histórica de este siglo luego de perecer recibió una atención tan extendida, numerosa y variada en biografías publicadas en tan breve tiempo. Sin embargo, la mayoría de estas biografías contribuyeron más a tergiversar que a explicar correctamente la vida del Che. Casi todas escritas en breve lapso, resultaron carentes de rigurosidad y seriedad. Sus autores cedieron al afán de lucro y de promoción individual, aprovechándose del interés universal que despertaba la personalidad del Guerrillero Heroico.  Algunos de ellos trabajaron por encargo de la Agencia Central de Inteligencia de los Estados Unidos (CIA) y otros hicieron diversas interpretaciones superficiales, capciosas e intencionadas, movidos por su ideología y valores políticos ajenos o contrarios al pensamiento y la acción del Che.
Cuando estaba …