Pular para o conteúdo principal

Dois ex-Planet Hemp fazem shows em Manaus


Bernardo Santos, o BNegão, chega na cidade com o projeto Sound System, junto com Pedro Selector (trompetista e vocal dos Seletores de Frequência), DJ Castro (ex-quinto Andar, atual Black Alien) e suas bases eletrônicas

Manaus, 02 de Julho de 2011

Vanessa Bayma

Bernardo Santos, o BNegão, chega a Manaus com o projeto Sound System
Bernardo Santos, o BNegão, chega a Manaus com o projeto Sound System (Divulgação)
Hip-hop, música jamaicana, jazz, samba, soul, funk carioca, numa mistura só, evidenciando a Black Music. No dia 15, sexta-feira, e 16, sábado, Manaus recebe duas lendas e ex-Planet Hemp: BNegão, da banda BNegão & Seletores de Frequência, e Black Alien, para dar o pontapé no projeto “Black in Black”, da Musique Nuit, que promete trazer até o final do ano grandes nomes do gênero musical.
Bernardo Santos, o BNegão, chega na cidade com o projeto Sound System, junto com Pedro Selector (trompetista e vocal dos Seletores de Frequência), DJ Castro (ex-quinto Andar, atual Black Alien) e suas bases eletrônicas. O show acontece dia 15 no Aomirante Bar (rua Padre Agostinho Caballero, Santo Antônio), às 22h, na Pacha Mama, que vai contar ainda com a banda Cabocrioulo, DJ Marquinhos Leão e DJ Phino. O evento é em parte beneficente.
Gustavo Almeida, do Black Alien, será o residente da balada “Black in Black”, que estreia dia 16 na Musique Nuit (avenida Mário Ypiranga, Adrianópolis), às 22h, e vai até dezembro. Na mesma noite, se apresentam ainda MC Koringa, DJ Cinara e a banda Ayahuasca.
Beneficente
De acordo com Ramom Montero, tatuador da Tattoo Nation, que está trazendo BNegão, além de dar mais uma opção para o público amazonense, que sente falta de festas de estilo mais alternativo, o show ainda ajudará uma instituição carente de Manaus.
“Vai ser uma ou duas que vamos ajudar, com parte do dinheiro que arrecadarmos. Já falei também com alguns lutadores e vamos oferecer a crianças aulas de muay thai, jiu-jitsu, boxe, karatê, além de oficinas de tatuagem e pintura também”, contou Ramom.
Já a Black in Black promete agitar sempre a primeira sexta do mês, contando com a presença de Black Alien. Para o mês de setembro, MV Bill já está confirmado e Mr Catra será atração nos próximos meses.
O projeto tem como finalidade evidenciar a mistura de vários ritmos, sempre trazendo convidados diferentes. Alien, assim como BNegão, foram membros do Planet Hemp, banda de rap rock dos anos 90 que deu o que falar com letras de crítica social e a favor da legalização do uso da maconha.
BNegão trabalha ainda como DJ, faz shows com os Seletores e ainda toca os projetos Sound System, Locomotivos e a Caravana Liberdade de Expressão, onde canta nos presídios pelo País. Após sair do Planet, em 2004, lançou, com a atual banda, o CD “Enxugando Gelo”, que levou o Prêmio Dynamite (o maior prêmio independente do Brasil) na categoria melhor disco de Rap/Black Music do ano.
Black Alien esbanja currículo invejável: desde que saiu do grupo, em 1993, e fez participações com artistas como Paralamas do Sucesso, Raimundos, Fernanda Abreu, etc. Em 2006, Fat Boy Slim remixou uma música sua, “Quem Que Caguetou”.
Os ingressos para a Pacha Mama custam R$ 30 homem e R$ 20 mulher. Se levar 2kg de alimento, ganha R$ 5 de desconto. Os camarotes para a Black in Black estão esgotados, mas dá pra correr e comprar os ingressos, que custam R$ 40 mulher e R$ 60 homem.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

NOBRES

Abdias do Nascimento
"A revolução quilombista é fundamentalmente anti-racista, anticapitalista, antilatifundiária, antiimperialista e antineocolonialista"
Adam Clayton Powell
"A liberdade é uma conquista interna, em vez de um ajuste externo".
Aime Césaire
"Para um ser dilacerado por três séculos de aviltamento, o conhecimento de seu continente original restabelece sua dignidade, oferecendo-lhe uma ancestralidade que lhe fora confiscada"
Alice Walker
Não pode ser seu amigo quem exige seu silêncio ou atrapalha seu crescimento.
Alzira Rufino
Sou negra ponto final. Devolvo-me a identidade, rasgo a minha certidão. sou negra! sem reticências, sem vírgulas, sem ausências. Sou negra balacobaco. Sou negra noite cansaço
Amilcar Cabral
" Não vamos utilizar esta tribuna para dizer mal do imperialismo. Diz um ditado africano muito corrente nas nossas terras, onde o fogo é ainda um instrumento importante e um amigo traiçoeiro que quando a tua palhota arde, de nada serv…
ÚLTIMAS DE MUNDOCasa Branca proíbe 'NY Times', CNN e BBC de ir a coletiva de imprensa24/02/2017 16:44Juiz é designado para investigar candidato à Presidência da França24/02/2017 16:30Obama é celebrado por multidão ao aparecer de surpresa em Nova York24/02/2017 16:25Colisão de dois ônibus mata 13 pessoas e fere 34 na Argentina24/02/2017 16:04 RIO — Um documento de 35 páginas vazado pela imprensa americana na terça-feira contém supostas revelações constrangedoras sobre o republicano Donald Trump. O relatório — que teria sido escrito por um ex-agente britânico em caráter confidencial — não teve sua veracidade comprovada oficialmente, mas gerou uma forte polêmica nos EUA. Dentre as alegações no documento, estão supostas atividades sexuais do magnata nova-iorquino e detalhes sobre a sua relação com as autoridades russas antes mesmo de ser eleito presidente dos Estados Unidos. Logo após a divulgação do material, a Rússia negou ter informações comprometedoras sobre Trump. O republic…

chepor

chepor dilma...eagora Brasil...
La vida y obra del Che Guevara suscitó, en los años inmediatos después de su muerte, un notable número de biografías. Probablemente, ninguna personalidad histórica de este siglo luego de perecer recibió una atención tan extendida, numerosa y variada en biografías publicadas en tan breve tiempo. Sin embargo, la mayoría de estas biografías contribuyeron más a tergiversar que a explicar correctamente la vida del Che. Casi todas escritas en breve lapso, resultaron carentes de rigurosidad y seriedad. Sus autores cedieron al afán de lucro y de promoción individual, aprovechándose del interés universal que despertaba la personalidad del Guerrillero Heroico.  Algunos de ellos trabajaron por encargo de la Agencia Central de Inteligencia de los Estados Unidos (CIA) y otros hicieron diversas interpretaciones superficiales, capciosas e intencionadas, movidos por su ideología y valores políticos ajenos o contrarios al pensamiento y la acción del Che.
Cuando estaba …