Pular para o conteúdo principal

O Maior terrorista: Barack Hussein Obama


 



Quando anunciada oficialmente a morte de Osama Bin Laden pelo presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, uma multidão de cidadãos americanos saiu às ruas na madrugada do dia 2 de maio. Ainda no fim da noite do dia 1° de maio, boatos rondavam na internet sobre a suposta morte do “terrorista” Osama Bin Laden, o que foi “confirmado” pouco tempo depois por um pronunciamento de Obama. Devido a falta de provas sobre a morte de Osama (já que o corpo, segundo o governo americano, teria sido jogado ao mar, e a decisão de não divulgar fotos do terrorista morto) nos causa uma certa desconfiança a aceitar esta notícia. Porém, como a própria Al Qaeda já escolheu um novo líder (Ayman al-Zawahiri), e até agora sem Osama aparecer por ae em algum vídeo parar negar sua própria morte, acredito sim que ele esteja morto.

A morte de Osama está sendo considerada pelos americanos como um triunfo sobre o terrorismo. Uma luta do Bem (EUA) contra o Mal ( terrorismo islâmico). Porém, o fato é de que a morte de Bin Laden não causará a diminuição do terrorismo pelo mundo. O que sustenta o terrorismo não é a al Qaeda ou qualquer outra organização, mas sim o ódio pelas ações praticadas pelos Estados Unidos. E os americanos sabem realmente insuflar o ódio em diversas nações do mundo, principalmente nas do oriente médio. Perceba que o maior ato terrorista da história da humanidade foi praticada pelos próprios Estados Unidos, quando estes jogaram bombas atômicas nas cidades de Hiroshima e Nagasaki em agosto de 1945. As bombas foram jogadas em populações camponesas e trabalhadoras. Em cima de crianças e mulheres e homens inocentes. Jogadas sobre a população civil. Este é só um exemplo maior das ações terroristas praticadas pelos estados unidos em todo o mundo.


Os Estados Unidos insuflam o ódio ao redor do mundo ao invadir países, organizar golpes contra governos democraticamente eleitos, dominar com sua política e economia imperialista a América latina. Ao matarem Osama covardemente, jogando o seu corpo ao mar como um indigente, faz aumentar cada vez mais a reação a eles próprios ao redor do mundo. Os Estados Unidos se acham senhores do mundo, e com certeza isso gera respostas a seus atos, e respostas por muitas vezes violentas. O Terrorismo contra os Estados Unidos só acabará quando este mudar sua política externa. Abandonar as práticas imperialistas e suas próprias práticas terroristas ao redor do mundo.

Porém, de certo que Obama teve um grande lucro pessoal: já garantiu sua reeleição. No mandato de Bush, Osama não era uma figura tão interessante. A família de Bin Laden tinha relações comerciais (ligações estas pessoas, e não políticas) com a família Bush. Isto é melhor explicado por Michael Moore em seu filme de 2004, Fahrenheit – 11 de setembro. A invasão do Afeganistão não tinha como foco a capura de Osama, mas sim a construção de um oleoduto que beneficiaria as empresas americanas. A quem então o governo americano está servindo? a seus cidadãos ou aos interesses privados de alguns empresários?

O que é certo é que a morte de Osama está longe de representar a construção de um mundo sem violência e sem terrorismo. Muito pelo contrário, incita cada vez mais atos de violência e terror pelo mundo. Os Eua criam o terrorismo, Nisso eles são mestres. Não tem como comparar Osama Bin Laden, um mero aprendiz, com Bush ou com Obama. Estes sim, verdadeiros terroristas. A morte de Osama não impedirá mais mortes ao redor do mundo, pois os Estados Unidos estão ainda de pé, matando muitas vidas inocentes em diversos países e gerando ao mesmo tempo uma resposta, também violenta, aos seus atos.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

NOBRES

Abdias do Nascimento
"A revolução quilombista é fundamentalmente anti-racista, anticapitalista, antilatifundiária, antiimperialista e antineocolonialista"
Adam Clayton Powell
"A liberdade é uma conquista interna, em vez de um ajuste externo".
Aime Césaire
"Para um ser dilacerado por três séculos de aviltamento, o conhecimento de seu continente original restabelece sua dignidade, oferecendo-lhe uma ancestralidade que lhe fora confiscada"
Alice Walker
Não pode ser seu amigo quem exige seu silêncio ou atrapalha seu crescimento.
Alzira Rufino
Sou negra ponto final. Devolvo-me a identidade, rasgo a minha certidão. sou negra! sem reticências, sem vírgulas, sem ausências. Sou negra balacobaco. Sou negra noite cansaço
Amilcar Cabral
" Não vamos utilizar esta tribuna para dizer mal do imperialismo. Diz um ditado africano muito corrente nas nossas terras, onde o fogo é ainda um instrumento importante e um amigo traiçoeiro que quando a tua palhota arde, de nada serv…
ÚLTIMAS DE MUNDOCasa Branca proíbe 'NY Times', CNN e BBC de ir a coletiva de imprensa24/02/2017 16:44Juiz é designado para investigar candidato à Presidência da França24/02/2017 16:30Obama é celebrado por multidão ao aparecer de surpresa em Nova York24/02/2017 16:25Colisão de dois ônibus mata 13 pessoas e fere 34 na Argentina24/02/2017 16:04 RIO — Um documento de 35 páginas vazado pela imprensa americana na terça-feira contém supostas revelações constrangedoras sobre o republicano Donald Trump. O relatório — que teria sido escrito por um ex-agente britânico em caráter confidencial — não teve sua veracidade comprovada oficialmente, mas gerou uma forte polêmica nos EUA. Dentre as alegações no documento, estão supostas atividades sexuais do magnata nova-iorquino e detalhes sobre a sua relação com as autoridades russas antes mesmo de ser eleito presidente dos Estados Unidos. Logo após a divulgação do material, a Rússia negou ter informações comprometedoras sobre Trump. O republic…

chepor

chepor dilma...eagora Brasil...
La vida y obra del Che Guevara suscitó, en los años inmediatos después de su muerte, un notable número de biografías. Probablemente, ninguna personalidad histórica de este siglo luego de perecer recibió una atención tan extendida, numerosa y variada en biografías publicadas en tan breve tiempo. Sin embargo, la mayoría de estas biografías contribuyeron más a tergiversar que a explicar correctamente la vida del Che. Casi todas escritas en breve lapso, resultaron carentes de rigurosidad y seriedad. Sus autores cedieron al afán de lucro y de promoción individual, aprovechándose del interés universal que despertaba la personalidad del Guerrillero Heroico.  Algunos de ellos trabajaron por encargo de la Agencia Central de Inteligencia de los Estados Unidos (CIA) y otros hicieron diversas interpretaciones superficiales, capciosas e intencionadas, movidos por su ideología y valores políticos ajenos o contrarios al pensamiento y la acción del Che.
Cuando estaba …