Pular para o conteúdo principal

Assiste Raúl Castro à gala de escritores e artistas cubanos

Camila Carduz, na Prensa Latina
O presidente cubano, Raúl Castro, assistiu à gala cultural pelo 50 aniversário da União de Escritores e Artistas de Cuba (Uneac), celebrada na sala García Lorca do Grande Teatro de Havana.
Em suas palavras de abertura ontem, o escritor Miguel Barnet, quem preside essa organização, destacou como esta promove o melhor da cultura cubana e se manteve fiel aos princípios traçados pela Revolução e seu líder histórico, Fidel Castro, quem em suas Palavras aos intelectuais em 1961 alimentou o espírito de unidade.
Ao referir-se à gênese fundacional da Uneac, indicou que esta uniu os escritores e artistas que viviam no esquecimento e num estado de desamparo social, e conseguiu o acordo de uma heterogênea massa de criadores.
Também se referiu ao processo de aperfeiçoamento impulsionado nos últimos anos e ao espírito de transparência que a caracterizou em seu meio século de existência, "garantia de um diálogo pleno e democrático".
Assinalou como a cultura é a mais alta expressão da política porque garante o pleno exercício da liberdade e nos converte em seres humanos, ao elevar a qualidade de vida e potenciar os valores sociais.
Com a cultura, precisou, "assaltamos os quartéis da banalidade e a ignomínia, ao mesmo tempo em que nos opusemos à mercantilização da arte em nossa sociedade".
A gala abriu com o Ballet juvenil de Lizt Alfonso e o Conjunto Folclórico Nacional, em uma fusão de ritmos espanhóis e africanos expressiva das raízes da identidade nacional.
O espetáculo vistoriou ao acervo musical da ilha, desde o ponto camponês, o danzón e a trova até o bolero, a ópera e a dança moderna.
Música, poesia e dança se misturaram para render-lhe tributo a destacados expoentes da arte como Celina González, Barbarito Dez, Noel Nicola, Bola de Nieve e o poeta Nicolás Guillén, presidente fundador da Uneac.
Assistiram ao ato o ministro da Cultura, Abel Prieto, e os membros do Bureau Político do Partido Comunista de Cuba, Esteban Lazo, Marino Murillo e Lázara Mercedes López, entre outras personalidades.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Médica acreana presa em Pernambuco A médica acreana Alessandra Bréa Moreno Dantas foi presa pela Polícia Federal na sexta-feira (1), em Caetés (PE). Após concluir o curso de medicina em Pinar del Rio, com bolsa do governo de Cuba, voltou ao Acre, onde em diversas ocasiões procurou a Universidade Federal do Acre (Ufac) para tentar se regularizar. Como todos sabem, os médicos formados no exterior sempre foram tratados com preconceito e descaso por um grupo da Ufac. Alessandra Bréa tinha conquistado na Justiça o direito de trabalhar com registro provisório do Conselho Regional de Medicina (CRM). Como o registro expirou, a médica teve que deixar o Acre após a proibição de trabalhar também com um Termo de Ajuste de Conduta. Ela já havia conseguido revalidar seu diploma pela Universidade Federal do Ceará, mas aguardava a burocracia enquanto fazia plantões em Caetés. Infelizmente, Alessandra Bréa foi surpreendida pela Polícia Federal, após denúncia do CRM de Pernambuco, acusada de exe…

Rio das Ostras promove I Fórum sobre Culturas Indígenas

Em comemoração ao Dia do Índio, 19 de abril, Rio das Ostras terá um evento que promete deixar os moradores mais próximos da realidade desses nossos precursores. Nos dias 18 e 19 de abril (sábado e domingo), o Núcleo de Educação Ambiental (Neam) do município promove a primeira edição do Fórum sobre Culturas Indígenas. A programação tem abertura às 14h de segunda-feira, com uma expedição ambiental ao Sítio Arqueológico Sambaqui da Tarioba. No restante do dia também haverá palestras e exibição de filmes sobre a vida de alguns povos indígenas que já habitaram o município.
O evento ajudará a manter viva a memória dos antigos habitantes da região, os índios Goytacazes. De acordo com o antropólogo da Fundação Rio das Ostras de Cultura, Jorge Pinheiro, há cerca de 500 todo o Norte Fluminense era habitado por tribos indígenas, que desapareceram no século XVII, por causa da epidemia de varíola. O pesquisador ainda indicou o passeio pelo Sítio Arqueológico Sambaqui da Tarioba. O lo…
Tudo ou nada" "Não quero ter ninguém contra a vontade.
Não quero ter ninguém só vez em quando.
Não quero ter ninguém com falsidade.
Não quero ter ninguém me incriminando.
Não quero ter ninguém pela metade.
Não quero ter ninguém se lamentando.
Não quero ter ninguém por vaidade.
Não quero ter ninguém me espionando.
Só quero ter alguém se for completo, onde os dois tenham o máximo prazer.
Algo claro, translúcido, direto.
Sem o medo d'alguma coisa errada.
Sem mentiras ou segredos pra esconder.
...E se não for assim!... Não quero nada..."