Pular para o conteúdo principal

Primeiro Festival Internacional de Hip Hop da Lusofonia adiado para Setembro

Primeiro Festival Internacional de Hip Hop da Lusofonia adiado para Setembro


Luanda – O primeiro Festival Internacional de Hip Hop da Lusofonia será realizado apenas nos próximos dias 16 e 17 de Setembro deste ano, em Luanda, sob o lema “Juntos no Combate às Drogas e a Delinquência no espaço Lusófono”.

Em declarações à Angop, Abraão dos Reis, coordenador do festival, realçou que o evento foi adiado porque os músicos internacionais convidados mostraram disponibilidade de actuar apenas nos dias de 16 e 17 de Setembro.

Acrescentou que o evento realizado neste sábado as entradas foram grátis. Os que compraram os bilhetes de ingresso para o primeiro Festival Internacional de Hip Hop da Lusofonia poderão utilizar nas datas marcadas.

Segundo Abraão dos Reis, o festival tem como propósito homenagear a Presidência de Angola na Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP).

E ainda apoiar “o combate às drogas e à delinquência no seio da juventude nos países da CPLP; o combate à violência doméstica e a promoção da igualdade do género e a promoção da língua portuguesa e o reforço da cooperação sócio-cultural entre os Estados membros, que promovem o estreitamento das relações, troca de experiências no espaço lusófono, no quadro do desenvolvimento social”, disse.

De acordo com a fonte, esta actividade que mobilizará a juventude da comunidade visa, através do estilo musical Hip Hop, muito consumido pela juventude do espaço CPLP, retomar e multiplicar as mensagens acima referidas de acordo com o lema do festival.

Actuaram os músicos nacionais Kool Kleva, Celebrante, Brada Zua, Shone, Boy-G, VIP, KID MC, Dr. Pam, Vui Vui, Phather Mac, Dona Kelly, Dr. Romeu, Phay Grande, Azagaya, Os Calibrados, Os Tunezas, Puto Prata e Betty.

Nos dias 16 e 17 de Setembro farão presente no show os melhores de Hip Hop, em representação dos países lusófonos, nomeadamente do Brasil, Gabriel o Pensador e o Marcelo D2; Portugal, Vallet; Cabo Verde, Alui Valente, São Tomé e Príncipe, Aloim; Moçambique, Azagaria e Ali gems que vai substituir a Dama Du Bling; Guiné, Blac Company, Grupo composto por guineenses, cabo-verdianos e angolanos e de Angola, Phather Mac, Kid MC, Dr. Romeu, MC K, VIP, Eddy Shine, Nelboy e Boy-G.

O festival conta com o apoio do Ministério da Comunicação Social.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Médica acreana presa em Pernambuco A médica acreana Alessandra Bréa Moreno Dantas foi presa pela Polícia Federal na sexta-feira (1), em Caetés (PE). Após concluir o curso de medicina em Pinar del Rio, com bolsa do governo de Cuba, voltou ao Acre, onde em diversas ocasiões procurou a Universidade Federal do Acre (Ufac) para tentar se regularizar. Como todos sabem, os médicos formados no exterior sempre foram tratados com preconceito e descaso por um grupo da Ufac. Alessandra Bréa tinha conquistado na Justiça o direito de trabalhar com registro provisório do Conselho Regional de Medicina (CRM). Como o registro expirou, a médica teve que deixar o Acre após a proibição de trabalhar também com um Termo de Ajuste de Conduta. Ela já havia conseguido revalidar seu diploma pela Universidade Federal do Ceará, mas aguardava a burocracia enquanto fazia plantões em Caetés. Infelizmente, Alessandra Bréa foi surpreendida pela Polícia Federal, após denúncia do CRM de Pernambuco, acusada de exe…

Rio das Ostras promove I Fórum sobre Culturas Indígenas

Em comemoração ao Dia do Índio, 19 de abril, Rio das Ostras terá um evento que promete deixar os moradores mais próximos da realidade desses nossos precursores. Nos dias 18 e 19 de abril (sábado e domingo), o Núcleo de Educação Ambiental (Neam) do município promove a primeira edição do Fórum sobre Culturas Indígenas. A programação tem abertura às 14h de segunda-feira, com uma expedição ambiental ao Sítio Arqueológico Sambaqui da Tarioba. No restante do dia também haverá palestras e exibição de filmes sobre a vida de alguns povos indígenas que já habitaram o município.
O evento ajudará a manter viva a memória dos antigos habitantes da região, os índios Goytacazes. De acordo com o antropólogo da Fundação Rio das Ostras de Cultura, Jorge Pinheiro, há cerca de 500 todo o Norte Fluminense era habitado por tribos indígenas, que desapareceram no século XVII, por causa da epidemia de varíola. O pesquisador ainda indicou o passeio pelo Sítio Arqueológico Sambaqui da Tarioba. O lo…
Tudo ou nada" "Não quero ter ninguém contra a vontade.
Não quero ter ninguém só vez em quando.
Não quero ter ninguém com falsidade.
Não quero ter ninguém me incriminando.
Não quero ter ninguém pela metade.
Não quero ter ninguém se lamentando.
Não quero ter ninguém por vaidade.
Não quero ter ninguém me espionando.
Só quero ter alguém se for completo, onde os dois tenham o máximo prazer.
Algo claro, translúcido, direto.
Sem o medo d'alguma coisa errada.
Sem mentiras ou segredos pra esconder.
...E se não for assim!... Não quero nada..."