Pular para o conteúdo principal

Rock in Rio tem noite de mistura e dueto entre Shakira e Ivete
01 de outubro de 2011  03h46  atualizado às 15h46

comentários
15
A cantora Shakira que fechou a noite em um dueto com a brasileira Ivete Sangalo que se apresentou horas antes. Foto: Ricardo Matsukawa/Terra
A cantora Shakira que fechou a noite em um dueto com a brasileira Ivete Sangalo que se apresentou horas antes
Foto: Ricardo Matsukawa/Terra
FERNANDO DINIZ
Direto do Rio de Janeiro
Bossa nova, reggae e hip-hop. Rock e axé. Samba de raiz e até samba enredo. Tapinha Não Dói com guitarras distorcidas. Diversidade ou confusão, o quinto dia do Rock in Rio 4 foi marcado pela mistura. O show mais esperado da noite, o da colombiana Shakira, foi marcado pela participação da baiana Ivete Sangalo em País Tropical, clássico de Jorge Ben Jor.
A abertura do palco Mundo na noite de sexta-feira ficou a cargo do rapper Marcelo D2. Neosambista, o ex-vocalista do Planet Hemp transitou entre o samba de raiz e a pegada mais agressiva do hip-hop que o revelou.
Na sequência, o grupo mineiro Jota Quest animou o público com sucessos, lembrando os 15 anos de carreira da banda. No fim da apresentação, a banda convocou o público para cantar a música tema do Rock in Rio.
A cantora de axé Ivete Sangalo fez a plateia ferver em seu show, cantando hits como FestaPoeira e Dalila. Mesmo dizendo que faria um "show de axé", a baiana deu uma roupagem de rock para algumas músicas. Ivete inovou o repertório e tocou no violão uma música fora do setlist: a balada More Than Words, da banda de hard rock Extreme.
A empolgação do público com o show de Ivete não foi transferida para a apresentação do americano Lenny Kravitz. Alguns fãs acompanharam o cantor com palmas e cantaram sucessos como American Woman, mas em geral o público parecia apático, diferente do que acompanhou o show da baiana.
Fechando a noite, a colombiana Shakira começou o show com Estoy Aqui, um dos primeiros sucessos do discoPíes Descalzos, que fez muito sucesso no Brasil em 1996. "Estou aqui para vocês, Brasil", disse a cantora no português que aprendeu durante sua turnê no País no início da carreira. Em uma das músicas, a colombiana convidou algumas fãs para subir ao palco e dançar com ela.
Palco Sunset
O compositor João Donato e a cantora Céu promoveram um encontro de gerações da MPB no palco Sunset, na tarde de sexta-feira. A dupla tocou músicas do disco A Bad Donato, considerado pela crítica como uma anti-bossa. Nos momentos solo, a cantora Céu mostrou uma veia blusística ao cantar acompanhada de sua competente banda.
Martinho da Vila, o rapper Emicida e a banda Cidade Negra fizeram um encontro samba-rap-reggae depois. Boa parte das pessoas que estavam na Cidade do Rock assistiram ao show, que contou com sucessos da banda brasileira como Estrada.
Na sequência, o grupo Monobloco, projeto dos integrantes da banda Pedro Luís e a Parede, se apresentou no palco do entardecer, tocando inclusive o samba-enredo Peguei um Ita no Norte. O espanhol Dani Macaco, que mistura rumba com outros ritmos, subiu ao palco animou o público com a música Moving, mas logo viu os fãs escaparem para o show de Marcelo D2, que começou enquanto a programação do palco Sunset ainda não havia terminado.
O que funcionou
Tirolesa 1 - A tirolesa do Rock in Rio recebeu uma média de mil pessoas por dia, segundo dados da produção. Até agora não foram reportados incidentes graves.
Segurança - A Polícia Militar tem atuado dentro da Cidade do Rock. Nos primeiros dias, os PMs eram vistos mais em torno do evento. O Rock in Rio tem a empresa Prosegur como responsável pela segurança.
Comida - Permitir a entrada de lanches na Cidade do Rock ajudou a diminuir as filas gigantescas nas lanchonetes.
O que não funcionou
Tirolesa 2 - O brinquedo tem filas que podem chegar a sete horas de espera. À noite, muita gente reclamou de ter ficado na fila e ter sido barrado. A organização chegou a avisar que a atração fecharia mais cedo, às 23h30, mas houve empurra-empurra de frequentadores da Cidade do Rock revoltados.
Sombra - O forte sol de sexta-feira evidenciou que faltam espaços com sombra na Cidade do Rock. Fãs improvisaram atrás das colunas montadas para as caixas de som.
Palco Sunset - Iniciar o show do palco Mundo quando o do Sunset ainda não terminou voltou a ser um problema. Dependendo da posição no gramado, o som embola, além de prejudicar artistas.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Médica acreana presa em Pernambuco A médica acreana Alessandra Bréa Moreno Dantas foi presa pela Polícia Federal na sexta-feira (1), em Caetés (PE). Após concluir o curso de medicina em Pinar del Rio, com bolsa do governo de Cuba, voltou ao Acre, onde em diversas ocasiões procurou a Universidade Federal do Acre (Ufac) para tentar se regularizar. Como todos sabem, os médicos formados no exterior sempre foram tratados com preconceito e descaso por um grupo da Ufac. Alessandra Bréa tinha conquistado na Justiça o direito de trabalhar com registro provisório do Conselho Regional de Medicina (CRM). Como o registro expirou, a médica teve que deixar o Acre após a proibição de trabalhar também com um Termo de Ajuste de Conduta. Ela já havia conseguido revalidar seu diploma pela Universidade Federal do Ceará, mas aguardava a burocracia enquanto fazia plantões em Caetés. Infelizmente, Alessandra Bréa foi surpreendida pela Polícia Federal, após denúncia do CRM de Pernambuco, acusada de exe…

Rio das Ostras promove I Fórum sobre Culturas Indígenas

Em comemoração ao Dia do Índio, 19 de abril, Rio das Ostras terá um evento que promete deixar os moradores mais próximos da realidade desses nossos precursores. Nos dias 18 e 19 de abril (sábado e domingo), o Núcleo de Educação Ambiental (Neam) do município promove a primeira edição do Fórum sobre Culturas Indígenas. A programação tem abertura às 14h de segunda-feira, com uma expedição ambiental ao Sítio Arqueológico Sambaqui da Tarioba. No restante do dia também haverá palestras e exibição de filmes sobre a vida de alguns povos indígenas que já habitaram o município.
O evento ajudará a manter viva a memória dos antigos habitantes da região, os índios Goytacazes. De acordo com o antropólogo da Fundação Rio das Ostras de Cultura, Jorge Pinheiro, há cerca de 500 todo o Norte Fluminense era habitado por tribos indígenas, que desapareceram no século XVII, por causa da epidemia de varíola. O pesquisador ainda indicou o passeio pelo Sítio Arqueológico Sambaqui da Tarioba. O lo…
Tudo ou nada" "Não quero ter ninguém contra a vontade.
Não quero ter ninguém só vez em quando.
Não quero ter ninguém com falsidade.
Não quero ter ninguém me incriminando.
Não quero ter ninguém pela metade.
Não quero ter ninguém se lamentando.
Não quero ter ninguém por vaidade.
Não quero ter ninguém me espionando.
Só quero ter alguém se for completo, onde os dois tenham o máximo prazer.
Algo claro, translúcido, direto.
Sem o medo d'alguma coisa errada.
Sem mentiras ou segredos pra esconder.
...E se não for assim!... Não quero nada..."