Pular para o conteúdo principal

constação social...

História do Futuro

Houve um tempo em que tudo era muito estranho, mas ao mesmo tempo estranhamente normal. As notícias sobre sequestros, assaltos, estupros, violência, tráfico de drogas, já não causavam espanto. As pessoas não se interessavam por tais assuntos, preferiam ignorar. Existia uma tal de “democracia autoritária”. As pessoas não entendiam de política, não se interessavam por política, não participavam da vida pública, porém votavam. Deixavam ser governadas, pagavam para ser governadas. E isso não era questionado, pelo menos não por grande parte da população. A maior preocupação da grande maioria era o “momento”. Viver o momento, trabalhar para ter dinheiro, ter dinheiro para comprar sua casa, seu carro, sair pra festas, ter relacionamentos que por muitas vezes eram tão egoístas e mesquinhos quanto a sociedade em que se vivia. Era um reflexo dela. O amor não era o que nos movia. Procurávamos ser amados em uma sociedade em que só valorizava o dinheiro, as coisas materiais. Então acabamos por nos tornar objetos. Éramos usados e descartados por pessoas. Por ditos “amigos”, namorado(a)s, patrões e até por alguns familiares. Isso levou com que muitos se isolassem. No início do século XXI a depressão aumentava cada vez mais. Os jovens sem perspectiva, muitos querendo alcançar a tal “felicidade” prometida pelo sistema capitalista vendia seu tempo, seu corpo para grandes corporações, trabalhando freneticamente para aumentar capital. recebendo para viver, mas para viver uma vida sem sentido. E estávamos tão acostumados a isso que riamos e ridicularizávamos quem pensava diferente. Sim, existiam pessoas que pensavam diferente. Eram idealistas. Queriam mudar, lutavam, protestavam, tinham algo diferente na alma, algo especial que muitos desconheciam. Eram poucos, mas o suficiente pra incomodar os poderosos. Mais enquanto maior parte da população vivia na ignorância o sistema ainda se mantinha de pé.

 Porém, algo aconteceu. O sistema tornou-se cada vez mais opressor. Os recursos naturais ficaram escassos. A população pagava as consequências enquanto a burguesia ainda se mantinha no luxo. Exigia-se cada vez mais e mais sacrifício da população. Guerras ocorreram. Foi-se grande o sofrimento do povo. Porém, o grupo pequeno de idealistas que não era ouvido, agora chamava a atenção do povo com suas ideias de revolução. Muitos entraram pra esses grupos e partidos que falavam dessas ideias surgidas no Século XIX, porém que se mostravam muito atuais. Soldados se recusaram a lutar, Trabalhadores pararam fábricas. Surgiu uma pessoa em especial. Tinham muitos grandes homens e mulheres, mas um em especial chamou a atenção do povo. Ele não parecia ter medo, não parecia se importar com sua própria vida, tinha uma grande coragem e um discurso que impressionava a todos. Seu nome não cabe colocar aqui, pois não era movido por interesses pessoais. Mas existia uma ideia por atrás do homem. Uma idéia que não morria, algo que era eterno. Foi desta forma que começou. O que parecia impossível estava se tornando real. Aqueles que diziam ser utopia não podiam acreditar que o sonho finalmente estava se tornando realidade. E essas pessoas que tanto duvidaram estavam tão acostumadas com o antigo sistema que não podiam viver sem ele. E pegaram em armas para defendê-lo. Mas dessa vez foi diferente. As pessoas tinham finalmente acordado, não tinha como voltar atrás. Estavam cansadas de uma vida tão fútil, queriam experimentar algo novo. E mesmo que não desse certo, preferiram tentar do que simplesmente deixar as coisas como estavam. E desta forma governo por governo foi caindo e substituído por um governo popular, uma sociedade onde não existiam mais classes sociais e todos trabalham não para si mesmo, mas para o bem de toda a sociedade. Essa história pode parecer maluca contada para você que não viveu tudo isso. Mas eu juro, existiam pessoas que achavam que a nossa sociedade atual não era possível. Achavam ser o socialismo algo impossível, que não daria certo. Provamos a essas pessoas que estavam erradas. Que nada é impossível quando se está determinado e quando pessoas se unem por um ideal.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Médica acreana presa em Pernambuco A médica acreana Alessandra Bréa Moreno Dantas foi presa pela Polícia Federal na sexta-feira (1), em Caetés (PE). Após concluir o curso de medicina em Pinar del Rio, com bolsa do governo de Cuba, voltou ao Acre, onde em diversas ocasiões procurou a Universidade Federal do Acre (Ufac) para tentar se regularizar. Como todos sabem, os médicos formados no exterior sempre foram tratados com preconceito e descaso por um grupo da Ufac. Alessandra Bréa tinha conquistado na Justiça o direito de trabalhar com registro provisório do Conselho Regional de Medicina (CRM). Como o registro expirou, a médica teve que deixar o Acre após a proibição de trabalhar também com um Termo de Ajuste de Conduta. Ela já havia conseguido revalidar seu diploma pela Universidade Federal do Ceará, mas aguardava a burocracia enquanto fazia plantões em Caetés. Infelizmente, Alessandra Bréa foi surpreendida pela Polícia Federal, após denúncia do CRM de Pernambuco, acusada de exe…

Rio das Ostras promove I Fórum sobre Culturas Indígenas

Em comemoração ao Dia do Índio, 19 de abril, Rio das Ostras terá um evento que promete deixar os moradores mais próximos da realidade desses nossos precursores. Nos dias 18 e 19 de abril (sábado e domingo), o Núcleo de Educação Ambiental (Neam) do município promove a primeira edição do Fórum sobre Culturas Indígenas. A programação tem abertura às 14h de segunda-feira, com uma expedição ambiental ao Sítio Arqueológico Sambaqui da Tarioba. No restante do dia também haverá palestras e exibição de filmes sobre a vida de alguns povos indígenas que já habitaram o município.
O evento ajudará a manter viva a memória dos antigos habitantes da região, os índios Goytacazes. De acordo com o antropólogo da Fundação Rio das Ostras de Cultura, Jorge Pinheiro, há cerca de 500 todo o Norte Fluminense era habitado por tribos indígenas, que desapareceram no século XVII, por causa da epidemia de varíola. O pesquisador ainda indicou o passeio pelo Sítio Arqueológico Sambaqui da Tarioba. O lo…
Tudo ou nada" "Não quero ter ninguém contra a vontade.
Não quero ter ninguém só vez em quando.
Não quero ter ninguém com falsidade.
Não quero ter ninguém me incriminando.
Não quero ter ninguém pela metade.
Não quero ter ninguém se lamentando.
Não quero ter ninguém por vaidade.
Não quero ter ninguém me espionando.
Só quero ter alguém se for completo, onde os dois tenham o máximo prazer.
Algo claro, translúcido, direto.
Sem o medo d'alguma coisa errada.
Sem mentiras ou segredos pra esconder.
...E se não for assim!... Não quero nada..."